Negras, periféricas e amigas: modelos brasileiras são destaque em campanha internacional

Voltar

Negras, periféricas e amigas: modelos brasileiras são destaque em campanha internacional

Samile e Raissa estão na nova campanha da grife Rag & Bone

 

Samile Bermannelli e Raissa Leme vivem na mesma casa, têm o mesmo biótipo, visitam os mesmos clientes, concorrem entre si pelos trabalhos e têm o mesmo objetivo: não perpetuar a rivalidade entre mulheres. A dupla, agenciada pela Mega Model Brasil,  estrela lado a lado a nova campanha da grife americana Rag & Bone. “Esse trabalho representa onde a gente chegou como pretas, periféricas e amigas”, afirmam.

A marca que já teve em seus outdoors modelos como Kate Moss, Candice Swanepoel e Hailey Bieber, agora traz as brasileiras celebrando suas identidades afrodescendentes – de dreadlocks e braid boxes. Mais uma vitória para as modelos que passaram pela transição capilar do liso para o natural há pouco. “Espero que outras marcas vejam que há essa possibilidade. Não havia entrada no mercado publicitário para cabelos naturais das modelos pretas, estamos conseguindo reverter esse padrão”, comenta Samile.

As modelos também compartilham outros fatores em comum, como a infância humilde, a criação matriarcal e a famosa ‘energia brasileira’. Unidas pela pandemia na mesma casa em Nova Iorque, a dupla encontrou forças na amizade para continuar no país durante a quarentena. “Não tínhamos mais ninguém na cidade, apenas uma a outra. Nosso lar estava em harmonia enquanto sentíamos a tensão lá fora. Sempre que uma pensava em desistir, a outra estava lá, dando apoio”, conta Raissa.

A baiana Samile mora na Big Apple há três anos e já brilhou nas capas e páginas das revistas Vogue, Harper’s Bazaar, L’Officiel e ELLE; esteve nas campanhas de Dolce & Gabbana e Fendi, além de cruzar a passarela da Victoria’s Secret. Já a paulista Raissa fala quatro idiomas e chegou na metrópole americana neste ano, depois de passar temporada na Espanha; no seu currículo estão as revistas Vogue e Harper’s Bazaar e cliques para as marcas Revlon e H&M.

Para elas, o momento atual representa um marco para todas as modelos pretas. “Queremos inspirar outras meninas a não desistirem, mostrar que elas podem ter o cabelo que quiserem e chegar onde elas sonharem. Hoje é possível ser preta, respeitada, conseguir bons clientes e ser bem paga”, afirmam.

Para dar continuidade ao empoderamento de outras jovens, o duo une forças com a modelo brasileira Mahany Pery em um canal no Youtube que estreará no próximo mês, o espaço servirá de diário e de ponto de referência para quem sonha com a carreira.