Jacques Dequeker

Voltar

Biografia

Natural de Porto Alegre, Jacques Dequeker iniciou sua carreira de fotógrafo nos anos 2000, depois de vivenciar experiências que o tornaram o profissional internacionalmente reconhecido de hoje.

Antes de se tornar um ícone da fotografia de moda e movie maker premiado nos principais festivais do mundo, Jacques trabalhou limpando barco em San Diego, nos Estados Unidos, foi professor de boxe, em Porto Alegre, e chegou a fazer performance nas ruas de Seattle, tocando atabaque com um amigo, logo após uma viagem mal sucedida, que tinha como objetivo ingressar na pesca de King Crag, no Alaska. Depois dessas aventuras internacionais, o fotógrafo voltou para o Brasil e teve, no Sul, sua primeira experiência com a fotografia, com o amigo e fotógrafo Pedro Flores. Em seguida, trabalhou com Paulo Vainer e Jairo Goldflus.

Dequeker trilhou seu próprio caminho na fotografia de moda, em julho de 2000, onde fotografou sua primeira Vogue. Autodidata, gaúcho de nascimento, mas cidadão do mundo, filho de mãe francesa, completou mais de dezesseis anos atrás das objetivas em voo solo. Neste período, acumulou prêmios de melhor fotógrafo de moda pela ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil) e na Bienal de Fotografia de Roma. Esta, com imagens subaquáticas de tubarões, uma de suas paixões e parte de seu trabalho pessoal. Além de mais de 100 capas da revista Vogue.

Determinado e obstinado, as influências de seus “mestres” Salvador Dalí e Helmut Newton, entre outros, são personificadas nas suas mulheres-heroínas. Ele encara a moda como um universo lúdico e cria histórias sem parar. A partir da Sputnik achada em uma feira de antiguidades, uma câmera russa 3D dos anos 50, ele inovou fazendo editorias e campanhas em terceira dimensão e até um desfile-filme em uma das edições da São Paulo Fashion Week, para a marca Ellus. Habitué das principais publicações de moda brasileiras, o seu voo foi além da imagem estática.

A paixão ampliou-se para a imagem em movimento, de maneira natural. Os fashion films produzidos por Dequeker lhe possibilitaram representar o Brasil, em cinco edições, no La Jolla Fashion Film Festival, nos EUA, além do Kikito de melhor fotografia de curta metragem com Polaroid Circus, no Festival de Cinema de Gramado de 2011. Em março de 2013, ele cria a DQKER fashion films e, em 2014, é novamente premiado, desta vez pelo The International Fashion Film Awards como melhor diretor de fashion filme pelo Jailbreak, filme estrelado pela top Carol Ribeiro. Em 2018, o gaúcho sai detrás das câmeras e integra o júri do La Jolla Fashion Film Festival, em Santigo, considerado o maior evento de filme fashion da América do Norte.

Jacques passou uma temporada em Nova Iorque em busca de novos desafios. Em pouco tempo, na Big Apple, já fez trabalhos com celebridades internacionais como o ator Charlie Weber, a cantora de sucesso Iggy Azalea, Seu Jorge, Wagner Moura, entre outras.

Seu mais novo empreendimento, Jacques lançou sua própria revista digital, a DQKER Nation (@dqker.nation). Feita inteiramente para o Instagram, a estrutura das publicações segue um conceito forte por edição com desdobramentos em quatro diferentes editorias: Fashion, Lifestyle, Beauty e Youth. O texto não é o foco da publicação, mas sim o visual, que segue orientado para e pela arte unida ao design. “Em uma breve definição, a DQKER Nation é onde design meets fashion, e isso acontece no Instagram”, define o fotografo.

Como videomaker, Jacques dirigiu o clipe de estreia da cantora Cleo, “Jungle Kid”, e desenvolveu todo o conceito estético da filmagem. No final de 2018, aceitou o desafio de assinar a direção de “Boa menina”, novo videoclipe de Luísa Sonza. E desde então não parou mais, entre os nomes que ilustram seu portfólio musical estão além dos já citados: Claudia Leitte, Pabllo Vittar, Luisa Sonza, Thiaguinho, Mariana Rios entre outros.