Marco Luque

Voltar

Biografia

Natural de São Paulo, o ator e humorista Marco Luque mostrava desde pequeno sua aptidão para o que faz de melhor: proporcionar alegria na vida das pessoas. Ainda pequeno, o paulistano era a grande atração de seu colégio, tendo espaço reservado por uma professora, ao final de cada aula, para apresentação de suas imitações aos colegas de classe.

Formado em Artes Plásticas pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), exerceu diversas funções no início da carreira, como garçom de buffet, animador de festa infantil, monitor de acampamento, entre outras.
Antes de consagrar-se como humorista, Luque fez aulas com renomados preparadores de elenco, como Fátima Toledo, e atuou em peças dramáticas, como “Quando as Máquinas Param”, de Plínio Marcos, e “Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente.

Tanto trabalho e dedicação geraram frutos, Marco Luque foi convidado a integrar o grupo do projeto “Terça Insana”, idealizado pela atriz e diretora Grace Gianoukas. No espetáculo, nasceram personagens marcantes, como o motoboy Jackson Five, o taxista Silas Simplesmente, a diarista Mary Help, entre outros.

O sucesso foi instantâneo e, logo em seguida, Luque foi convidado pela rádio Mix para ter o seu próprio quadro, apresentando histórias de um de seus personagens mais icônicos: o Jackson Five. As sketchs na rádio foram premiadas pela Associação Brasileira de Críticos Teatrais (APCA), na categoria “Melhor Programa de Humor na Rádio”, em 2010. Na mesma época, surgiram os convites para entrevista ao Programa do Jô, na Globo, e para integrar a bancada de apresentadores do programa CQC. Pouco tempo depois, Luque já estava estrelando o “Tamo junto!”, seu primeiro stand up solo, eleito pelo público como a melhor comédia em Stand Up pelo Guia da Folha, do jornal Folha de S. Paulo, e o “Labutaria”, espetáculo em formato de monólogo que apresenta histórias de cinco personagens criados pelo humorista.

Além de trabalhos para a TV e o teatro, Luque também atua em produções cinematográficas. Seu primeiro papel foi como fotógrafo no filme “Bellini e o Demônio”, de Marcelo Galvão. Com o mesmo diretor, esteve no filme “Colegas”, premiado em festivais como o de Gramado e o do Cinema Latino-Americano. Luque também trabalhou com dublagens de longas animados, como “Khumba”, “Mortadelo & Salaminho – Em Missão Inacreditável” e “Cegonhas – A História Que Nunca Te Contaram”.

Em 2017, Luque teve papel de destaque em “O Homem Perfeito”, dirigido por Marcus Baldini e protagonizado por Luana Piovani. No filme, o seu personagem se envolve em um triângulo amoroso com Piovani e Juliana Paiva. Sérgio Guizé também está no elenco. Ele também esteve no longa “Talvez Uma História de Amor”, de Rodrigo Bernardo, fazendo o papel de melhor amigo do personagem de Mateus Solano.

Nos palcos, Marco Luque tem um histórico de sucessos, como o espetáculo “1, 2, 3, testando” e o stand up “Tamo junto!”, sendo que este último foi gravado pelo Netflix, serviço de streaming mais famoso do mundo.
Na TV, além do Altas Horas, da Rede Globo – há mais de três anos Marco integra a equipe do programa -, o artista também faz participações no humorístico “Vai Que Cola”, do Multishow.

Na atração global, apresentada por Serginho Groisman, Marco Luque atua em cenas externas, brinca com dublagens e reveza os seus personagens no palco, interagindo com a plateia. Nas redes sociais, Marco Luque conta com mais de 15 milhões de seguidores e está entre os perfis mais influentes do Brasil, destacando-se pela interatividade sempre bem-humorada com o seu público.

Em 2019, Luque emprestou sua voz para o personagem Patinho na sequência da animação “Toy Story”. Além disso, o humorista também ganhou um novo quadro no Altas Horas. De cara limpa, Luque entrevista um convidado, depois aproveita as respostas para, caracterizado como um de seus personagens, refazer todas as perguntas de forma humorada. A primeira convidada foi Laura Müller, que viu suas respostas sobre vôlei virarem questionamentos sobre sexo na voz da icônica Mary Help. Nas telinhas, Luque deu vida ao Patropi, na “Nova Escolinha do Professor Raimundo” e também ao sisudo Montgomery na série “Eu, a Vó e a Boi”, da plataforma de streaming GloboPlay.

Nos palcos, está em cartaz com o espetáculo “Todos Por Um”, que traz seus principais personagens para os palcos com visual repaginado e texto novo, para uma apresentação com momentos mágicos, recursos tecnológicos e muito mais, que rodará o Brasil no segundo semestre de 2020. Também vem se dedicando ao seu canal no YouTube, onde leva de forma bem humorada, esquetes com temas atuais e relevantes.

Os principais hobbies do artista são praticar esportes, viajar e esculpir. Ele mesmo é responsável por criar as próteses e máscaras para os seus personagens.