PK

Voltar

Biografia

Natural do Rio de Janeiro, Pedro Henrique Pereira Bendia, mais conhecido como PK, respira música desde pequenininho. Suas influências musicais tomaram grande proporção na quarta série, época em que começou a ouvir Racionais por indicação de um amigo. Já o funk surgiu e ganhou forças na vida de PK por ser o estilo musical predominante do lugar em que morava.

Apesar da pouca idade, PK coleciona experiências no ramo musical e sua descoberta se deu por conta de uma participação – em 2013 – na Batalha do Real, a maior batalha de rimas do Rio de Janeiro, e o resultado não poderia ser outro: campeão.

Mais uma vez, PK havia feito seu nome permanecer entre as cabeças mais procuradas das Batalhas de MC, somando uma grande legião de fãs que o acompanhavam por seus freestyles. Então, com confiança e pedidos do público para que lançasse seu primeiro trabalho musical, montou seu primeiro grupo. Uma semana depois de lançar o primeiro single, ele começou a receber pedidos de shows por telefone e, de uma hora para outra, aprendeu toda logística do mercado da música e de eventos, já que trabalhava de forma totalmente independente.

No final de 2018, o grupo encerrou suas atividades em comum acordo de todos os membros.

Em 2019, PK lançou seu primeiro som em carreira solo, intitulado “Quando a Vontade Bater”. O single atingiu números inimagináveis, se manteve durante oito meses entre as 15 mais tocadas no Spotify, e conta hoje com mais de 146 milhões de streamings na plataforma. Além do sucesso nacional, “Quando a Vontade Bater” ultrapassou as barreiras do continente e entrou nos rankings de streaming da Europa, virando referência de funk em Portugal. Essa grande explosão é um reflexo da inovação que o artista traz: mescla diferentes ritmos musicais, tendo sua base o Rap e o Funk.

Mostrando toda sua versatilidade, a música seguinte veio de uma parceria com um dos grandes nomes do cenário musical brasileiro, o cantor Belo, chamada “Indomável”. O som ocupou o primeiro lugar de algumas das principais rádios do Rio de Janeiro e Brasil.

PK participou de músicas como “Meu Mundo”, “Como Ela Vem”, “Barcelona” que somadas ultrapassam a faixa de 280 milhões de reproduções.

Apaixonado por música e compositor de suas próprias canções, PK lançou em agosto de 2019 seu primeiro EP composto de quatro faixas e com a participação de nomes como Ludmilla, Kevin O Chris, DJ Pedro Henrique e DJ Tubarão. Intitulado “ImPKvel”, o trabalho marca a carreira do carioca que conta com um crescimento expressivo na internet e conta com mais de 3,8 milhões de ouvintes mensais no Spotify.

Encerrando 2019 com chave de ouro, o cantor lançou a canção “Tudo de Bom”, em parceria com a cantora Luísa Sonza, e claro, é mais um sucesso pra conta. São mais de 42 milhões de streams no Spotify e mais de 22 milhões de visualizações do clipe no Youtube.

Em 2020, PK continuou bombando nas plataformas digitais com muitos hits lançados. No começo do ano foram lançadas as canções “Hoje Tá Bom”, com MC Rebecca, e “Escandalosa”, com Tati Zaqui, que já somam mais de 28,8 milhões de visualizações no YouTube.

Ainda no primeiro semestre deste ano, o cantor lançou a música “É O Perigo”, ao lado de Pocah, “Vai Danada”, em parceria com Becky G e Gabily e “Não Para Não”, em parceria com Mc Jottapê, juntas, as canções somam mais de 11,8 milhões de views no YouTube.

No final de junho, o cantor lançou seu mais recente trabalho “Como a chuva cai”, em parceria com Hungria Hip Hop. Nesta canção, PK volta às suas origens trazendo um trap, onde falam sobre suas trajetórias de vida, história na música e como utilizaram as dificuldades impostas pela sociedade como força para chegarem onde queriam.

O segundo semestre do ano começou com mais um hit, a canção “Qual que é dessa mina?”, em parceria com o cantor sertanejo Felipe Araújo. Neste single, PK mostra como se tornou um dos maiores nomes da música urbana da atualidade mais uma vez misturando gêneros e alcançando números incríveis, além de estar continuamente alcançando novos públicos.

O cantor participou também do projeto Poesia Acústica 10, onde escreveu boa parte da canção e esteve ao lado de grandes nomes, como Ludmilla.

2021 começou com uma música daquelas – Por causa dela – que conta com a participação da comediante Gkay no clipe. Essa canção que mostra todo o amadurecimento que PK ganhou. Compositor, produtor e 100% focado na música, hoje ele apresenta uma faixa solo depois de muitas parcerias de sucesso.

Em fevereiro, PK se juntou aos colegas Xamã, Orochi e Buddy Poke para trazer o single “Fiquei Rico Cedo”, que é a celebração desses cantores que foram do underground – Batalha do Tanque, em São Gonçalo – para o topo das paradas musicais ainda muito jovens.

Já em seu último lançamento, o single “Macetando Firme”, a música traz aquela batida envolvente do trap, que faz o corpo começar a mexer no momento em que toca. A letra é mais intensa e picante, trazendo toda a essência do ritmo falando sobre delírios psicológicos de um ego aflorado de quem conquistou todas as regalias e conforto que a vida tem para oferecer e utilizou disso para curtir e viver fazendo o que bem entende.

No mais, PK é apaixonado por games e futebol – e pelo Flamengo -. Dono de uma voz incrível e talento sem igual, ele busca, por meio do seu som, levar entretenimento aos seus fãs e mostrar que com perseverança tudo é possível sim, mesmo com os obstáculos do dia a dia.

“Não importa o estilo, eu respiro música 24h por dia. Vou jogar futebol com os amigos e continuo fazendo rimas durante as partidas. Durmo pensando em música e acordo pensando nela”, complementou.