Alok

Voltar

Biografia

As batidas musicais perpassam o DNA familiar de Alok. Sob o batismo de Alok Achkar Peres Petrillo, o goiano herdou de seus progenitores o entusiasmo rítmico dos beats eletrônicos. As primeiras inclinações aos dez anos de idade só confirmariam aquele que, em pouco tempo, seria considerado um dos maiores DJs do mundo.

Sua passagem por Londres lhe dá a oportunidade de se dedicar integralmente as produções e experimentações musicais. De volta ao Brasil, se tornou pioneiro ao introduzir o Brazilian Bass, subgênero que originou os hits “Who Gives” (2016) e “Hear me Now” (2017).

O instinto visionário do artista e a busca por novas sonoridades lhe rendem honrarias e prêmios que ultrapassam as fronteiras nacionais. No último ranking da conceituada revista inglesa DJ Mag, divulgado em 2021, Alok foi eleito o quarto melhor DJ do mundo, sendo o latinoamericano mais bem posicionado da história. Além disso, ele é o primeiro brasileiro a alcançar mais de um bilhão de plays no Spotify e o único a ser listado no Billboard Dance 100. 

Recebeu na Itália um disco de platina duplo e na França um disco de ouro por seu sucesso “Hear me Now” em parceria com Bruno e Zeeba, atingindo o TOP 1 no Spotify em diversos países e o primeiro brasileiro a alcançar o TOP 20 no TOP Global.

A confiabilidade de seu nome junto ao público brasileiro foi conferida pelo IBOPE que o titulou como um dos dez artistas de maior credibilidade. Não à toa, o Instituto Alok já nasceu grande com a doação no valor de 5,2 milhões de dólares à promoção de causas sociais.

Com mais de quinze anos de carreira, Alok é um artista de reconhecimento internacional e média de quatro tours anuais pelo mundo. Seu nome já marcou o line-up dos principais festivais: Tomorrowland, Ultra Music Festival, Burning Man, Ushuaia Ibiza e Creamfields, além do Rock in Rio, onde rompeu a suposta barreira da música eletrônica ao se apresentar no principal palco do evento. Outra de suas ousadias foi colocar em pleno carnaval de Salvador um trio elétrico que embalou mais de cem mil pessoas no circuito Barra Ondina, em 2020.

Agregando públicos diferentes, Alok tem parcerias com a cantora Dua Lipa, a norueguesa Ina Wroldsen, o belga Yves V, o estadunidense Steve Aoki, o neerlandês Armin Van Buuren, o norte-americano John Legend, o porto-riquenho Luis Fonsi, entre outros. O prestígio e respeito adquirido pelos os artistas internacionais fez com que Mick Jagger o convidasse pessoalmente a lançar uma versão de “Gotta get a grip”.

Mas quem pensa que apenas de remix e produções musicais vive Alok, se engana. Ele é um gamer apaixonado pelos jogos onlines. Da pista de dança para os games, Alok, em 2019, ganhou um personagem exclusivo com seu nome no Battle Royale Free Fire. No ano seguinte promoveu o campeonato Alok Game Changer, torneio que além da premiação em dinheiro, teve como objetivo a inclusão e visibilidade para times de jogadores desconhecidos, além de ressaltar a importância da presença feminina na comunidade gamer.

Os números angariados por Alok são expressivos: 26,5 milhões de seguidores no Instagram; mais de 6,3 milhões de inscritos no Youtube; 9 milhões no Facebook; 2,6 milhões no Twitter; mais de 19,8 milhões de ouvintes mensais no Spotify e a lista segue…

Seu primeiro especial de final de ano, ocorrido em dezembro de 2020, reuniu uma média de 250 mil espectadores simultâneos e ficou nos primeiros lugares dos trending topics do Twitter.

No âmbito familiar, Alok é casado desde 2019 com a médica Romana Novais. Juntos são pais de Ravi e Raika.